quinta-feira, 30 de junho de 2016

Plataforma “Muda aí” aposta na redução de danos

Promoção da saúde através de hábitos saudáveis e escolhas inteligentes: essa é a campanha proposta pela plataforma online “Muda aí”, divulgada através de eventos organizados pela Secretaria Municipal de Saúde – SMS, em parceria com a Superintendência de Saúde Mental e o Viva Rio durante a semana de 20 a 24 de junho de 2016, com o intuito de discutir a questão de álcool e drogas sob a ótica da redução de danos.

Em todos os dias da programação houve a divulgação do vídeo “Modere”, parte da plataforma da web que propõe a conscientização no consumo de álcool e outras drogas em prol de uma boa qualidade de vida.

Na quarta-feira (22), profissionais da saúde e os usuários de álcool e outras drogas se reuniram na Biblioteca Parque da Rocinha para assistirem ao filme “Despedida em Las Vegas”, baseado em fatos verídicos. No longa, o personagem principal, Ben, vivido por Nicolas Cage, se muda para Las Vegas com a intenção de beber até morrer, após perder a esposa e o emprego devido ao seu alcoolismo. Após a exibição do filme, houve uma roda de conversa ministrada pela psiquiatra Joana Thiesen, do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que atua no Centro Municipal de Saúde Dr. Alberto Sabin e na Clínica da Família Pavão-Pavãozinho Cantagalo.

O paciente Roberto*, da Clínica da Família Maria do Socorro, disse que já passou por alguns momentos vividos por Ben, como diversos tombos, constantes esquecimentos e momentos de desorientação ligados à intoxicação alcoólica no organismo. Além disso, Roberto, assim como o personagem, perdeu o emprego e sofreu preconceito das pessoas ao redor, por ser alcoólatra. Hoje, em tratamento na Clínica, ele afirma estar muito melhor e conseguiu reduzir bastante o consumo de bebidas alcoólicas.

“O ponto importante do tratamento é o suporte dos amigos e dos profissionais, que formam uma equipe de apoio ao paciente, oferecendo companhia durante o processo Além de dar atenção, eles permitem a troca de experiências”, informou Carmen Lúcia Feitosa, articuladora de Saúde Mental da Cap 2.1.

Dentro do quadro de cuidados aos usuários de drogas, o território da Rocinha é diferenciado, por haver uma integração entre os serviços, que formam uma rede de proteção através de quatro unidades: Clínica da Família Rinaldo Delamare, Clínica da Família Maria do Socorro, CAPS Maria do Socorro e CMS Albert Sabin.

A médica Joana Thiesen destacou que, por haver grupos de apoio funcionando na Rocinha quase todos os dias da semana, é possível montar um esquema adequado para cada paciente ser cuidado intensivamente. Em cada uma dessas unidades funciona um grupo de redução de danos que compartilha o histórico e realiza o acompanhamento desse paciente.“Nós não cobramos a abstinência dos usuários, mas o consumo consciente, reduzido, que  não leve prejuízos à vida da pessoa”, informa a psiquiatra.



Devaldo Mendes de Oliveira é agente redutor de danos que atua nas quatro unidades de saúde da Rocinha. Nascido e criado no território, o colaborador conhece bastante os moradores. Quando Devaldo encontra casos que necessitam de atenção na comunidade os encaminha à equipe de saúde, que traça um programa de atividades para cada um deles, oferecendo também assistência à família, incluída no tratamento. “O objetivo dos grupos oferecidos pelas unidades de saúde é orientar e educar essas pessoas”, comenta Devaldo.

Outro agente redutor de danos presente ao evento foi Dirceu Alves, que atua no CMS João Barros Barreto, CMS Chapéu Mangueira – Babilônia e Clínica da Família Cantagalo Pavão Pavãozinho. “Trabalho em Copacabana, onde é maior a quantidade de moradores em situação de rua. Como agente redutor de danos, meu trabalho consiste, sobretudo, em trazer a equipe da saúde da família ao usuário, fazer o elo. O foco do tratamento é levar qualidade de vida para o usuário”, afirmou o agente.



Cléo Moraes, especialista no cuidado ao usuário de álcool e drogas, lembra que  o Núcleo de Drogas e Saúde Mental do Viva Rio, do qual é membro, através de parceria com a Coordenadoria Geral de Atenção Primária- CAP 2.1, oferece capacitação permanente aos redutores de danos com a sistematização das ações e articulações com outros atores da rede. “O objetivo é que os redutores de danos tornem-se multiplicadores em suas unidades de atuação, envolvendo e motivando os demais profissionais no cuidado integral aos pacientes usuários de álcool e outras drogas”, complementa o especialista.

Cléo também considerou o evento na Biblioteca Parque como “um momento ímpar, onde pela primeira vez aconteceu um encontro com os moderadores dos quatro grupos de redução de danos que existem na Rocinha, além dos próprios pacientes que compareceram”. Ao todo, cerca de 40 pessoas participaram do evento de quarta-feira.

Além da Biblioteca Parque da Rocinha, houve a divulgação da Campanha “Muda aí”   no Centro de Atenção Psicosocial – CAPS Franco Basaglia, no Catete e no Centro Municipal de Saúde João Barros Barreto – CMS, em Copacabana, na segunda e terça-feira (20 e 21),  respectivamente, com esclarecimentos sobre o tema de álcool, cigarro e outras drogas, sob a lógica de promoção da saúde e redução de danos. Nestes encontros, foram passadas orientações sobre o consumo consciente de drogas e hábitos saudáveis, como a importância de uma hidratação e alimentação adequadas, a fim de melhorar a qualidade de vida de quem consome.



Ao fim da semana de conscientização, foi articulado entre os profissionais e funcionários das unidades de saúde um evento fixo em todas as últimas quartas-feiras do mês, onde haja a troca das experiências e atividades lúdicas com os pacientes.

(Texto: Deborah Athila| Fotos: Amaury Alves)
* Os nome é fictício para preservar a identidade do usuário.

Fonte: Viva Rio

terça-feira, 28 de junho de 2016

Inscrições abertas para o curso “Álcool e outras drogas: da coerção à coesão”


Estão abertas as inscrições para curso “Álcool e outras drogas, da coerção à coesão”, ofertado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), integrante da Rede UNA-SUS.

Matrículas poderão ser realizadas até o dia 15 de julho, pelo FormSus. Ao total, serão oferecidas 3 mil vagas para profissionais de nível médio, técnico ou superior que atuam na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS).

Com carga de 120 horas, o curso possui sete módulos, que tratam dos seguintes temas: Drogas e sociedade; Políticas de Saúde Mental e Direitos Humanos; Atenção Psicossocial e Cuidado; Atenção Psicossocial e Cuidado; Processo de trabalho nos serviços de atenção a usuários de álcool e outras drogas; Recursos e Estratégias do cuidado e Singularidades do cuidado na RAPS.

A iniciativa é uma parceria entre o Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES/SGTES) e a Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (CGMAD/DAET/SAS), do Ministério da Saúde.

Mais Informações: cursossaudemental@saude.gov.br.

Acesse à página do curso: http://unasus.gov.br/cursos/alcool-e-drogas

Fonte: UNA-SUS

Inscrições abertas para III Mostra de Educação Permanente em Saúde


Estão abertas até o próximo dia 20 de julho as inscrições para a III Mostra de Educação Permanente em Saúde. Como nos anos anteriores, a Mostra está voltada para trabalhadores da gestão federal do Sistema Único de Saúde (SUS) e tem como objetivo reconhecer, cooperar e dar visibilidade às experiências de Educação Permanente em Saúde que ocorrem no âmbito federal do SUS, incentivando a construção de redes e contribuindo com a sustentabilidade dessas ações.

Deste modo, trabalhadores do Ministério da Saúde, sejam de Brasília, dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), dos Núcleos Estaduais, dos Hospitais e Institutos Federais e, também, das Unidades Vinculadas ao MS (ANVISA, ANS, FIOCRUZ, FUNASA, GHC e HEMOBRAS) estão convidados a compartilhar iniciativas de aprendizagem e produção de conhecimento que acontecem no cotidiano do trabalho e modificam os processos nas suas áreas de atuação.

Para saber mais detalhes e fazer a sua inscrição, clique aqui.

Dúvidas: (61)3315-2192 / mostraeps@saude.gov.br

Fonte: Ministério da Saúde

Curso de Acesso à Informação Científica e Tecnológica em Saúde lança nova turma


Estão abertas as inscrições para o curso de qualificação Acesso à Informação Científica e Tecnológica em Saúde, coordenado por Luciana Danielli de Araujo, do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC/Icict/Fiocruz).

O curso tem duração de aproximadamente dois meses, totalizando 72 horas, e é voltado a pesquisadores, estudantes e profissionais que atuem em atividades de desenvolvimento e apoio à pesquisa em ciência e tecnologia na área da saúde. Ao todo, são oferecidas 20 vagas.

O principal objetivo do curso é capacitar profissionais da área da informação para a compreensão dos processos de trabalho das bibliotecas e demais setores da Fiocruz. A utilização de novas tecnologias para o acesso a bases de dados especializadas também é abordada durante o curso.

Além disso, serão abordados aspectos profissionais da área da informação, destacando a importância do seu cotidiano e suas práticas, e a inserção destas na promoção do acesso à informação científica e tecnológica em saúde.

As inscrições podem ser feitas entre 20/06 a 20/07, pela Plataforma SIGAEPS. Todas as informações referentes ao curso de qualificação encontram-se disponíveis na chamada pública.

Fonte: Icict/Fiocruz

Aumenta a procura por fitoterápicos no SUS


Os brasileiros estão apostando cada vez mais em tratamentos à base de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos, inclusive fornecidos pelo SUS que, para garantir o uso sustentável da biodiversidade brasileira, lança carimbo e selo de garantia.

Se há três anos não passava de 6 mil o número de pessoas que procuravam esses produtos nas farmácias de atenção básica, hoje são cerca de 16 mil, um crescimento de 161%.

Ministério da Saúde para garantir o acesso seguro e uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos no país, já está presente em cerca de 3.250 unidades de 930 municípios brasileiros.

“Os fitoterápicos têm uma participação importante no mercado de medicamentos porque eles refletem também nossa cultura, nossa tradição e história. Além disso, são medicamentos de baixo custo aos quais parte da população está habituada, pois aprendeu a usá-los com seus avós e pais. É importante que possamos ampliar o acesso a fitoterápicos no SUS, hoje disponibilizados em cerca de 3.250 unidades de 930 municípios”, afirma o ministro Ricardo Barros.

Em média, por ano, a política beneficia 12 mil pessoas que utilizam medicamentos fitoterápicos industrializados, fitoterápicos manipulados, drogas vegetais e planta medicinal fresca. Atualmente, o SUS oferta doze medicamentos fitoterápicos. Eles são indicados, por exemplo, para uso ginecológico, tratamento de queimaduras, auxiliares terapêuticos de gastrite e úlcera, além de medicamentos com indicação para artrite e osteoartrite.

De acordo com o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), os fitoterápicos mais utilizados na rede pública são o guaco, a espinheira-santa e a isoflavona-de-soja, indicados como coadjuvantes no tratamento de problemas respiratórios, gastrite e úlcera e sintomas do climaterio.

Os produtos fitoterápicos e plantas medicinais, assim como todos os medicamentos convencionais, são testados para o conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, e também para garantir a qualidade do insumo. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e às Vigilâncias Sanitárias Municipais e Estaduais são responsáveis pelo controle desses medicamentos.

Fonte: Blog da Saúde

Caderno de atenção básica 39 – Núcleo de Apoio à Saúde da Família


RESUMO:Caderno de atenção básica que trata dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) nos municípios do Brasil, com o objetivo de aumentar efetivamente a resolutividade e a qualidade da Atenção Básica. Aborda: Implantação do Nasf; Algumas ferramentas que o Nasf pode utilizar; Integração entre serviços da rede de atenção à saude e articulação de redes sociais de apoio e O uso da informação para a qualificação das ações do Nasf.



TÍTULO:Núcleo de Apoio à Saúde da Família
TIPO DE DOCUMENTO:Livro
AUTOR:Ministério da Saúde
ANO:2014
EDITORA:Ministério da Saúde
PALAVRAS-CHAVE:Promoção da Saúde. Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF).
CATEGORIA E SUB CATEGORIA:Atenção Básica. Atenção à Saúde. Políticas Públicas em Saúde.

Baixe aqui

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Biblioteca Park da Rocinha- CINE GRUPO DE DANOS

No dia 22 de de Junho, foi realizado o Cine para o Grupo de Redução de  Danos, após assistirem o filme os usuários junto com a equipe do Nasf  realizaram uma roda de conversa onde discutiram  as dificuldades encontradas no período do costume nocivo à saúde.

Contamos com a presença dos profissionais do Nasf , Caps e  Supervisores das unidades de saúde  CF Rinaldo de Lamare, CF Maria do Socorro, CMS Albert Sabin e Caps Maria do Socorro.

Veja mais fotos aqui

Fonte: Otics Rocinha


UNESCO defende educação sexual e de gênero nas escolas para prevenir violência contra mulheres


Para a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, aprofundar o debate sobre sexualidade e gênero contribui para uma educação mais inclusiva, equitativa e de qualidade, não restando dúvida sobre a necessidade de a legislação brasileira e os planos de educação incorporarem perspectivas de educação em sexualidade e gênero.

Segundo a organização, declarações foram divulgadas diante de fatos recentes ocorridos no país no que se refere à violência sexual.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil reafirmou nesta terça-feira (7) seu compromisso com a garantia dos direitos das mulheres e da população LGBT, posicionando-se de forma contrária a toda forma de discriminação e violação dos diretos humanos em qualquer circunstância e, em especial, em espaços educativos.

“As desigualdades de gênero, muitas vezes evidenciadas pela violência sexual de meninas, expõem a necessidade de salvaguardar marcos legais e políticos nacionais, assim como tratados internacionais, no que se refere à educação em sexualidade e de gênero no sistema de ensino do país”, disse a agência das Nações Unidas em comunicado.

Segundo a organização, as declarações foram divulgadas diante de “recentes fatos ocorridos no país no que se refere à violência sexual”.

Para a UNESCO no Brasil, aprofundar o debate sobre sexualidade e gênero contribui para uma educação mais inclusiva, equitativa e de qualidade, não restando dúvida sobre a necessidade de a legislação brasileira e os planos de educação incorporarem perspectivas de educação em sexualidade e gênero.

“Isso se torna ainda mais importante uma vez que a educação é compreendida como processo de formar cidadãos que respeitem às várias dimensões humanas e sociais sem preconceitos e discriminações”, disse a agência da ONU.

Um dos compromissos dos países-membros das Nações Unidas é garantir o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, adotada pelo Brasil e todos os outros Estados-membros da ONU em 2015. Entre os 17 objetivos globais da agenda, está a garantia de ambientes de aprendizagem seguros e não violentos, inclusivos e eficazes, e a promoção da educação para a igualdade de gênero e os direitos humanos.

Resultado de amplo debate internacional, o Marco de Ação Educação 2030 joga luz sobre a importância da perspectiva de gênero na educação.

“Esta agenda dedica especial atenção à discriminação baseada em gênero, bem como a grupos vulneráveis, e para assegurar que ninguém seja deixado para trás. Nenhum objetivo de educação deve ser considerado cumprido a menos que seja alcançado por todos”, afirmou trecho do documento da reunião, realizada em novembro do ano passado, paralelamente à 38ª Conferência Geral da UNESCO, com a presença de ministros e especialistas.

A UNESCO ressaltou em todos os seus documentos oficiais que estratégias de educação em sexualidade e o ensino de gênero nas escolas é fundamental para que homens e mulheres, meninos e meninas tenham os mesmos direitos, para prevenir e erradicar toda e qualquer forma de violência, em especial a violência de gênero.

A agência da ONU já possui diversos materiais que podem ajudar os educadores do país a incluírem questões de gêneros nos debates de suas aulas e seus espaços educativos (clique aqui para saber mais).

“A eliminação das desigualdades de gênero é determinante para a construção de uma sociedade inclusiva e equitativa”, disse a UNESCO. “Todos os estudantes têm o direito de viver e aprender em um ambiente livre de discriminação e violência. Com educação e diálogo é possível prevenir a violência de gênero”.

A UNESCO no Brasil lançou também uma campanha nas redes sociais sobre o tema (veja aqui).

Fonte: Unesco

Caderno de atenção básica 35 – Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica


RESUMO: Caderno de atenção básica com o objetivo de destacar a importância atual das condições crônicas, salientando a complexidade das doenças/fatores de risco de determinação múltipla. Aborda conceitos comuns às diversas doenças crônicas e apresenta diretrizes para a organização do cuidado. Inclui estratégias para mudança de hábitos, promoção da alimentação saudável e prática de atividade física, abordagens para construção e acompanhamento dos planos de cuidado e de apoio ao autocuidado.



TÍTULO:Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica
TIPO DE DOCUMENTO:Livro
AUTOR:Ministério da Saúde
ANO:2014
EDITORA:Ministério da Saúde
PALAVRAS-CHAVE:Promoção da Saúde. Alcoolismo. Tabagismo. Diabetes Mellitus. Alimentação saudável. Atenção Básica. Atenção à Saúde. Doença Crônica.
CATEGORIA E SUB CATEGORIA:Atenção Básica. Atenção à Saúde. Doença Crônica.

Baixe aqui

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Caderno de atenção básica 36 – Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus



RESUMO:Caderno de Atenção Básica com o objetivo de auxiliar os profissionais de saúde da AB que atuam no acompanhamento do diabetes mellitus. Aborda o controle da glicemia e o desenvolvimento do autocuidado, o que contribui na melhoria da qualidade de vida, reduzindo assim a morbimortalidade causada pela patologia.






TÍTULO:Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus
TIPO DE DOCUMENTO:Livro
AUTOR:Ministério da Saúde
ANO:2013
EDITORA:Ministério da Saúde
PALAVRAS-CHAVE:Promoção da Saúde. Hiperglicemia. Intolerância à Glucose.
CATEGORIA E SUB CATEGORIA:Atenção Básica. Atenção Primária à Saúde. Diabetes Mellitus.

Baixe aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...