segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Aniversariantes do mês de Fevereiro

Parabéns e muitas felicidades aos aniversariantes do mês de Fevereiro:
Um lindo dia!

O dia do seu aniversário é o dia mais bonito do ano! Mais um ano passa e vamos cantar 'Parabéns pra você!" para celebrar tantas alegrias. Que cheguem os presentes de uma vida linda, e mesmo com a aparição dos desafios, que você seja forte para enfrentá-los sempre de cabeça erguida!

Parabéns e muitos anos de vida!

- 04/02 - Paula Travassos - Coordenadora
- 04/02 - Rosa Maria - Vetores
- 09/02 - Flávia Bessa - DAPS
- 16/02 - @Adriana Burla - Cms Dom Hélder Câmara
- 22/02 - Sidney Scheidegger - CF Rinaldo De Lamare
- 26/02 - Fabio - Motorista
- 28/02 - Jéssyca Félix S. Sampaio - CF Maria Do Socorro Rocinha

Mutirão de mobilização contra o Aedes aegypti chega ao Centro e à Zona Sul

O mutirão de mobilização da população contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, chega esta semana ao Centro e à Zona Sul (Áreas de Planejamento 1.0 e 2.1). Este é o último dos mutirões promovidos pela Secretaria Municipal de Saúde com o objetivo de envolver a população, com atividades educativas, para que todos possam colaborar no combate ao Aedes aegypti em suas próprias residências e vizinhanças. As ações dessas duas regiões acontecem de segunda (1º) a sexta-feira (5), em diversos locais das duas regiões.

A cada semana o mutirão vai a uma área da cidade com diferentes atividades. As ações, realizadas desde o dia 14 de dezembro, já aconteceram nas regiões de Madureira e Adjacências e Santa Cruz e Paciência; Campo Grande; Grande Tijuca; Ilha e Zona da Leopoldina; Grande Méier; Barra e Jacarepaguá; Bangu.

"A melhor forma de se prevenir a dengue, a zika e a chikungunya é combatendo o mosquito. O trabalho dos agentes de vigilância ambiental em saúde não para, acontece o ano inteiro, mas eles sozinhos não podem vencer essa luta, precisam da ajuda da população. As pessoas têm que ter a consciência de cuidar do seu próprio ambiente, porque 80% dos criadouros do Aedes aegypti estão dentro das casas. É o pratinho da planta, a vasilha, a garrafa deixada no quintal, a caixa d'água destampada, qualquer recipiente que possa acumular água vira um criadouro do mosquito", alerta a superintendente de Vigilância em Saúde, Cristina Lemos.

A SMS conta com mais de 3 mil agentes de vigilância ambiental em saúde. As equipes estão diariamente em campo em toda a cidade, durante todo o ano, mesmo nos meses de menor presença do Aedes aegypti. Em 2015, foram feitas ao todo 10,075 milhões de visitas de inspeção a imóveis em todo o município, para busca e eliminação de possíveis focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Os trabalhos continuam a todo o vapor este ano, até o momento, 1.091.606 visitas foram realizadas.

O trabalho dos agentes consiste em orientar os moradores; eliminar os depósitos passíveis de eliminação; tratar aqueles que não podem ser eliminados para evitar a proliferação dos focos. Nas visitas de inspeção a imóveis realizadas em 2015 em todo o município, os agentes eliminaram 1,069 milhão de depósitos de água e trataram outros 3,286 milhões. Este ano já foram eliminados 60.234 depósitos e tratados 162.900.

O ingresso compulsório em imóveis fechados ou abandonados – quando o proprietário não entra em contato para liberar o acesso dos agentes – é feito baseado no decreto nº 34.377, de 2011. Em 2015, os agentes de vigilância ambiental fizeram 1.146 notificações em imóveis que estavam fechados na primeira visita, com 95 publicações em Diário Oficial para entrada compulsória. A grande maioria dos proprietários procurou a SMS, após a notificação ou dentro do prazo estipulado no DO, abrindo o local para permitir a vistoria. Em 61 imóveis, no entanto, os agentes precisaram fazer a entrada compulsória permitida pelo decreto. Este ano, até o momento, já foram realizadas 15 entradas compulsórias.

Esta semana, todas as unidades da rede de Atenção Primária (centros municipais de saúde e clínicas da família) das regiões do Centro e da Zona Sul farão palestras de orientação nas salas de espera voltadas para o combate ao Aedes aegypti, destacando a importância da participação da população. Também ocorrerão ações em diversos pontos dos territórios com os agentes de vigilância em saúde e agentes comunitários de saúde.

Além de eliminar os criadouros do mosquito em suas próprias residências, a população pode colaborar também denunciando possíveis focos por meio da Central de Atendimento da Prefeitura, no telefone 1746. De todas as 17.064 solicitações feitas em 2015 sobre o Aedes aegypti ao serviço, 95,97% foram atendidas pelos agentes de vigilância ambiental em saúde dentro do prazo. 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

SMS prepara esquema para o Carnaval

A SMS preparou esquema especial de atendimento pré-hospitalar para os foliões que irão ao Sambódromo e Terreirão do Samba e nas áreas de maior concentração de público durante a programação do carnaval de rua na cidade, nos bairros do Centro, Copacabana e Ipanema/Leblon. Para casos que precisarem de remoção, ambulâncias estarão disponíveis. A Central Municipal de Regulação dará suporte aos casos de transferência. Os hospitais da rede municipal estarão de prontidão.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

#VisibilidadeTrans: Você sabe o que é isso?

O Dia da Visibilidade Trans é comemorado no dia 29 de janeiro. A proposta é sensibilizar a sociedade sobre as questões relacionadas à cidadania, aos direitos humanos e o acesso à saúde pública que envolvem a comunidade de transexuais e travestis.

Por meio da Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, o Sistema Único de Saúde (SUS) universaliza o acesso à saúde pública à população LGBT sem que haja qualquer tipo de discriminação ou preconceito nas Unidades de Saúde. Por isso, transexuais e travestis podem ter o Nome Social no Cartão do SUS.

O nome social é aquele pelo qual transexuais e travestis preferem ser chamados (as) cotidianamente, refletindo sua identidade de gênero, em contraposição aos nomes de registro civil determinados no nascimento, com o qual não se identificam. Além disso, é muito importante que os profissionais de saúde respeitem a diversidade sexual e de gênero das usuárias e dos usuários da saúde pública, se preocupando com o acolhimento e tratamento adequado para que não haja discriminação, nem preconceito.

O cuidado com os aspectos da identidade de gênero são fundamentais para trabalhar questões de saúde de indivíduos que trazem uma identidade de gênero diferente de seu corpo biológico de nascimento. Evitar preconceitos e decisões clínicas baseadas em estereótipos de gênero auxilia no alcance do cuidado integral dessa população que tem outras demandas de saúde para além de sua sexualidade. 

– Quer conhecer mais sobre a Política Nacional de Saúde da População de Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Travestis? O UNASUS oferece um curso online! Clique aqui e faça a sua inscrição.



segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Especialistas derrubam alguns mitos no combate ao mosquito da dengue

Agentes da prefeitura do Rio já diagnosticaram um erro comum: borra de café não mata as larvas. E elas não fazem questão de água superlimpa.

Ao longo de tantos anos de convivência com a ameaça da dengue, os brasileiros ouviram muitas vezes que é preciso acabar com focos do mosquito. O problema é que nem todo mundo se esforça. E algumas pessoas tentam - mas do jeito errado.

A batalha é diária contra um inimigo que é velho conhecido, mas agora está ainda mais assustador: o Aedes aegypti. A regra básica todo mundo sabe: evitar água parada. Mas porque ainda é difícil eliminar um mosquito tão pequeno? Algumas crenças populares dificultam o combate ao Aedes aegypti. Mitos que fazem com que a população se sinta protegida quando, na verdade, não está.
Um exemplo é a areia no pratinho do vaso de planta. Não basta colocar só um pouquinho – o resultado é água parada. Um pouquinho de água já é um prato cheio para a larva do mosquito se desenvolver.

“A areia tem que ser até a borda, para que não fique água acumulada dentro do prato”, diz o agente de saúde.

Está na hora de derrubar outro mito: não basta secar os reservatórios com água parada para eliminar os ovos.

“É necessário que você limpe com uma esponjinha, por exemplo, para que você elimine esses ovos, porque os ovos podem vir a eclodir novamente quando os recipientes foram novamente cheios”, explica Ademir Martins, biólogo do Instituto Oswaldo Cruz.

De casa em casa, os agentes da prefeitura do Rio já diagnosticaram um outro erro comum.
“Muita gente acha que a borra de café, aquele restinho de pó de café que sobra, colocando na água vai matar a larva de mosquito, não é verdade. A borra de café não mata a larva do mosquito”, esclarece o fiscal.

Em um prédio, os agentes atacam os ralos e lá se vai outra crença. As larvas do mosquito não fazem questão de água superlimpa e cristalina. Na aguinha cheia de terra, com cara de suja, o mosquito também pode se desenvolver.

E se você é daqueles que atacam o Aedes com ventilador, ar condicionado, repelente, saiba que isso só afasta, não elimina o mosquito. Tem gente que apela para o inseticida – mas cuidado com o uso frequente.

“Exatamente como acontece com os antibióticos: a gente não pode usar antibiótico todos os dias, de qualquer forma, senão a gente seleciona bactérias ultrarresistentes. A mesma coisa acontece com os mosquitos”, compara Ademir Martins.

E a pior crença talvez seja achar que basta tomar esses cuidados uma única vez. A prevenção tem que ser uma vez por semana. O esquecimento só faz o mosquito se multiplicar.

PEP

Se você fez sexo sem ‪#‎camisinha‬:
Faça a ‪#‎PEP‬ => Profilaxia pós - exposição
O que é PEP? São medicamentos para se proteger contra o HIV
Onde encontrar: Hospitais de Emergência, nos Centros Municipais de Saúde, Clínicas da Família, CER (Coordenação de Emergência Regional) e UPA (Unidade de Pronto Atendimento)
Quando procurar? Entre 2 e 72 horas (no máximo) após a relação sexual.
USE CAMISINHA, a PEP não substitui a camisinha!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Territorialização do CMS Manoel José Ferreira

Em virtude do CMS Manoel José Ferreira ter recebido mais duas equipes de ESF a CAP 2.1, através do apoiador Renan Pessanha, promoveu ontem (07/01) uma oficina de territorialização para mapeamento e divisão das novas áreas. Também nesta oportunidade foram esclarecidas dúvidas sobre fichas a e b e processos de trabalho junto aos ACS recém chegados.


Saiba mais aqui

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Aniversariantes do mês de Janeiro

Parabéns e muitas felicidades aos aniversariantes do mês de Janeiro:

Um lindo dia!

O dia do seu aniversário é o dia mais bonito do ano! Mais um ano passa e vamos cantar 'Parabéns pra você!" para celebrar tantas alegrias. Que cheguem os presentes de uma vida linda, e mesmo com a aparição dos desafios, que você seja forte para enfrentá-los sempre de cabeça erguida!

Parabéns e muitos anos de vida!

- 01/01 - Flavia Dantas Soares - DAPS
- 01/01 - Genaro Carlos Mannarino - CGA
- 02/01 - Cecília Valente - DVS
- 12/01 - Patricia Canto Ribeiro - Coordenação
- 15/01 - Nair Saraiva - DAPS
- 17/01 - Maria Do Carmo Marinho - Vetores
- 21/01 - Silvia Araujo - CGA
- 22/01 - Sebástian Freire - Promoção da Saúde
- 23/01 - Carmen Lúcia - DAPS

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Reinauguração do CMS Manoel José Ferreira

Em cerimônia ocorrida no final da tarde de ontem (28/12) em nosso auditório foi oficializada a reinauguração do CMS Manoel José Ferreira. Com a presença do Secretário de Saúde, Dr. Daniel Soranz, do Subsecretário Geral, Dr. José Carlos Prado Junior, da Coordenadora da AP 2.1, Dra. Paula Travassos, membros da SMS-RJ, profissionais e usuários uma grande comemoração foi feita para celebrar a “nova cara” da unidade. Com uma nova estrutura, completamente revitalizada, com muita acessibilidade, consultórios reformulados, academia carioca, ambiente climatizado, entre outras novidades, sempre visando o conforto dos usuários, o CMS atenderá a população da área com ainda mais qualidade.

Saiba mais aqui

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Mensagem de Boas Festas CAP 2.1

É tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retomar o caminho para uma vida melhor.
Teremos outras 365 novas oportunidades de dizer à vida, que de fato queremos ser plenamente felizes. Que queremos viver cada dia, cada hora e cada minuto em sua plenitude, como se fosse o último. Que queremos renovação e buscaremos nos superar a cada instante.
Todo Ano Novo é hora de renascer, de florescer, de viver de novo. Esperamos ter em 2016 um SUS mais solidário e alinhado as necessidades da população.
Click no link e assista a nossa mensagem de natal e fim de ano!
https://youtu.be/J4hMvC6rOsc
Paula Travassos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...