quarta-feira, 30 de julho de 2014

Ministério da Saúde anuncia inclusão de vacina contra hepatite A no SUS

Para o início da vacinação, já foram distribuídas 1,2 milhão de doses para os estados e municípios

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (29/7) a inclusão da vacina contra o vírus da hepatite A no calendário nacional de vacinação do Sistema Único de Saúde, a partir deste mês.

O público-alvo, de acordo com o ministro Arthur Chioro, são crianças de 1 ano até 1 ano e 11 meses. A meta é imunizar 95% deste público em um ano, cerca de três milhões de crianças. Com a inclusão da vacina, o objetivo é prevenir e controlar a hepatite A gradativamente.

O ministério investiu R$ 111 milhões na compra de 5,6 milhões de doses neste ano. Para o início da vacinação, já foram distribuídas 1,2 milhão de doses para os estados e municípios. O restante será distribuído gradualmente entre os meses de agosto e setembro.

Este mês, a vacina contra a hepatite A já está disponível nas unidades de saúde de 11 estados – Acre, Rondônia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Piauí, Pernambuco, Goiás, Espírito Santo, Mi
nas Gerais e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal, segundo o ministério.

No mês de agosto, a vacina chegará ao Amazonas, Amapá, Tocantins, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Pará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Santa Catarina, à Bahia e Paraíba. Já nos estados de Roraima, São Paulo e do Paraná, a imunização ocorrerá no mês de setembro.

Chioro disse que crianças que estiverem fora do público-alvo não serão vacinadas.

"A escolha da faixa etária é feita em cima de estudos técnicos exatamente por conta do período em que a criança terá capacidade de resposta imunológica pra se proteger contra a vacina. A partir de uma certa idade já é muito provável que a criança tenha entrado em contato com o vírus, então a recomendação do comitê técnico da Organização Mundial da Saúde [OMS] foi a introdução da vacina exatamente nesta faixa etária", disse Chioro.

A hepatite A é uma doença que atinge o fígado. De acordo com a OMS, a cada ano, ocorrem cerca de 1,4 milhão de casos no mundo. De acordo com o Ministério da Saúde, 151.436 casos da doença foram registrados no Brasil entre os anos de 1999 e 2013. No período entre 1999 e 2012, 761 pessoas morreram por causa da doença.

Fonte: Correio Braziliense

Tuberculose é tema de seminário no Rio de Janeiro

O #Fórum #ONGs #Tuberculose RJ, em parceria com o Observatório Tuberculose Brasil (OTB/ENSP), está promovendo, no dia 6 de agosto, o #Seminário Estadual de Tuberculose, em alusão ao Dia Estadual de Luta Contra a Tuberculose/RJ. O evento é aberto às instituições e profissionais interessados pelo tema e as inscrições são gratuitas. 


Confira a programação.

Seminário Estadual de Tuberculose
Dia Estadual de Luta Contra a Tuberculose/RJ
Encontro com a Sociedade Civil

6 de agosto de 2014

9h às 10 horas - Abertura

10h às 10h45 - Situação Epidemiológica da Tuberculose, no Estado do Rio de Janeiro
Ana Alice T. Pereira Bevilaqua - Gerente PCT/SES-RJ

10h45 às 12h30 - Plano de Enfrentamento da Tuberculose e da AIDS:
1 - A Pactuação na CIB e as perspectivas da SES
Alexandre Chieppe, Superintendente de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da SES-RJ.

2 - Os Planos de Ação Municipais: panorama atual e os desdobramentos
Denise Pires - Gerente DST AIDS/SES-RJ, Geraldo Warth e Marneili Martins - Técnicos PCT/SES-RJ

12h30 às 14 horas - Almoço

14 horas às 15 horas - Métodos diagnósticos para tuberculose
Fátima Fandinho - Diretora do Laboratório de Micobactérias do Centro de Referência Prof. Hélio Fraga/ENSP/Fiocruz

15h às 16 horas - Estratégias de prevenção do abandono do tratamento.
Alexandre Milagres - Médico pneumologista do Hospital Raphael de Paula Souza

16h às 17 horas - Evento cultural, confraternização e encerramento.

Inscrição gratuita no dia e local do evento.
Hotel São Francisco
Rua Visconde de Inhaúma 95 Centro
Rio de Janeiro - RJ
(esquina com Av. Rio Branco)

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Curso SUPERA - 6ª edição - Inscrições abertas!

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) abriu as inscrições para 30 mil vagas na 6ª edição do Curso SUPERA - "Sistema para detecção do Uso abusivo e dependência de substâncias psicoativas: encaminhamento, intervenção breve, reinserção social e acompanhamento".

O curso, totalmente gratuito, visa capacitar profissionais das áreas da saúde e assistência social para identificação e abordagem dos usuários de álcool, crack e/ou outras drogas, com a apresentação de diferentes modelos de prevenção e intervenção e encaminhamento.

A capacitação é desenvolvida na modalidade de Educação a Distância (EaD), com carga horária de 120 horas e tem a duração de três meses. Os alunos que concluírem o curso receberão certificado de extensão universitária emitido pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Os alunos receberão o material didático no endereço residencial e terão acesso às novas tecnologias de EaD, incluindo Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), portal específico do curso, acompanhamento por tutores especializados e telefonia gratuita para dúvidas e orientações.

O curso é parte integrante do eixo "prevenção" do programa "Crack, é possível vencer", que prevê, entre outras ações, a ampla capacitação de profissionais das áreas de saúde, assistência social, educação, justiça, segurança pública, conselheiros e lideranças comunitárias e religiosas.

Inscrições gratuitas www.supera.senad.gov.br

No Dia Mundial de Combate às Hepatites, especialistas alertam sobre a doença

No Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais lembrado hoje (28), especialistas alertam a população para cuidados rotineiros e simples capazes de evitar a contaminação dos tipos mais comuns da doença no Brasil: A, B e C. A higiene pode prevenir a transmissão do tipo A, que ocorre por ingestão de água e alimentos contaminados. Sempre lavar as mãos com sabão depois de ir ao banheiro, ferver a água em locais onde não há água clorada, higienizar os alimentos são algumas dicas evitar esse tipo de hepatite, doença que atinge o fígado.

Os tipos B e C, mais virulentos – que têm como principal forma de transmissão o contato com sangue e as relações sexuais – também podem ser evitados com maior cuidado em atividades corriqueiras.  A coordenadora estadual de Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, Clarice Gdalevici, lembrou que garantir instrumentos esterilizados na manicure é uma forma de evitar o contágio.

“[Isso ocorre com] todos os instrumentos de manicure, mesmo que não sejam cortantes, mesmo o palitinho, se tiver sangue na cutícula. O ideal é que o material seja de uso próprio”, informou. “[Com] tatuagens também, tanto a tinta como a agulha devem ser descartáveis ou esterilizadas para uso de mais de uma pessoa”, orientou ela.

Escovas de dente, aparelho de barbear, brincos, entre outros acessórios pessoais, não devem ser compartilhados, pois também podem ser transmissores da doença. No Rio de Janeiro, foram registrados 5.261 casos de hepatite B e 6.162 casos de hepatite C, entre 2005 e 2012. Anualmente, ocorrem cerca de 700 novos registros. A hepatite C é a que mais atinge a população do Rio. “Estamos investindo em campanhas de testes rápidos de 30 minutos nas regiões de maior incidência”, frisou a médica. “Muitas pessoas não sabem que têm a doença, que demora a se manifestar”, completou.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, além dos cuidados com a higiene, a vacinação é fundamental para a prevenção, sobretudo no caso da hepatite B que pode ser tornar crônica e manter a circulação do vírus na comunidade.

“Quanto mais cedo a pessoa adquirir a hepatite B, maior a chance de que ela se torne portadora crônica”, explicou ele ao lembrar que a vacina contra o tipo B faz parte do Programa Nacional de Imunizações há 14 anos. “Na época, ela era oferecida apenas a recém-nascidos e hoje é oferecida para pessoas até 49 anos. Felizmente não há mais ocorrências em crianças. O desafio agora é universalizar o acesso, pois é uma doença que atinge todas as idades”, explicou Renato Kfouri.

Para ele, a baixa adesão de jovens e adultos à imunização da hepatite B se deve sobretudo à falta de informação. “Muitos não sabem sequer que existe vacina para essas faixas etárias. Há uma cultura muito forte de vacinação da criança, mas ainda estamos muito longe na cobertura vacinal de jovens, adultos e idosos”, destacou. “Com a universalização, mais informação e conscientização conseguiremos erradicar pelo menos as hepatites A e B”, acrescentou.

Não há vacina para prevenir a hepatite C – a mais severa desses três tipos mais comuns no Brasil, podendo causar câncer no fígado. A vacina contra a Hepatite A começou a ser fornecida, pelo Sistema Único Saúde (SUS), para crianças de 1 a 2 anos no mês passado. Crianças maiores, adolescentes e adultos podem ser vacinados em clínicas privadas.

A hepatite A é mais leve, mas existem alguns casos fulminantes. O tipo B é 100 vezes mais infeccioso do que o HIV, e "o infectado costuma portar o vírus mesmo depois de curado”, segundo Renato Kfouri. “As chances de um recém-nascido, filho de uma mulher com hepatite B, ser portador do vírus para o resto da vida é 90%.”

Fonte: EBC 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

“OFICINA – Identificando o Pé de Risco em Pessoas com Diabetes e Hanseníase”

Profissionais da saúde participam de oficina “Identificando o Pé de Risco em Pessoas com Diabetes e Hanseníase”
Aconteceu no dia 18 de julho de 8h as 17 no CMS Manoel José Ferreira / Auditório Otics Catete a “OFICINA – Identificando o Pé de Risco em Pessoas com Diabetes e Hanseníase” para as equipes do Saúde da Família  da AP 2.1 

Enfermeiros, Educadores físicos, Agentes Comunitários de Saúde  e auxiliares/técnicos de enfermagem das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da CAP 2.1 participaram nesta sexta - feira (18) de uma oficina de capacitação sobre Identificando o Pé de Risco em Pessoas com Diabetes e Hanseníase. 

Pela manhã, a Gerente do Programa de Diabetes SMS-RJ , Claudia Ramos e a Gerente do Programa de Hanseníase SMS-RJ, Mª Edilene V. Lopes ministraram aulas teóricas sobre os temas: Diabetes: clinica e complicações e a apresentação do fluxograma ao MP, Hanseníase: Clínica e neuropatia periférica, Prevenção de Incapacidades na Hanseníase e Diabetes: avaliação e cuidado com o pé de risco.

À tarde, a Gerente do Programa de Praticas Integrativas e complementares SMS - RJ, Maria Cristina Nascimento Barros ministrou aula sobre os temas: O que é Reflexologia?, Áreas  de Reflexologia, Onde tem Reflexologia Podal no RJ?,Quem pode aplicar?, Como o paciente deve estar acomodado?,Quem pode receber a massagem?,Principais Indicações para prevenção de agravos e o Protocolo de Atendimento para o Pé Diabético com Cremes Fitoterápicos. 

Os profissionais tiveram a oportunidade de aprender na prática Avaliar o pé,  realizar o autocuidado e aplicar reflexologia podal.

Saiba mais sobre a Diabetes, hanseníase e praticas Integrativas 

O Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue. A glicose é a principal fonte de energia do organismo, porém, quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde como, por exemplo, muito sono no estágio inicial, cansaço, dentre outros. Quando não tratada adequadamente, podem ocorrer complicações, como ataque cardíaco, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas na visão, amputação do pé e lesões de difícil cicatrização, além de outras complicações. 
A Hanseníase é  uma doença causada por uma bactéria que ataca a pele e os nervos periféricos do corpo, principalmente braços, pernas e rosto, atingindo pessoas de todas as idades. 



Pode ter três graus: 0 – quando o paciente não tem nenhum problema nas mãos, pés e olhos devido a hanseníase; 1 – há diminuição ou perda da sensibilidade nas mãos, pés e olhos; 2 – quando o paciente apresenta lesões tróficas (que não cicatriza) traumáticas por causa da hanseníase, causando várias sequelas.
A reflexologia por definição é uma terapia complementar. Compreende o tratamento de vários distúrbios pela aplicação de pressão nos pés e mãos em áreas que chamamos de “pontos reflexos”. Esses pontos correspondem a órgãos, funções e regiões do corpo, a pressão é aplicada com a ponta do polegar ou dedos nas áreas correspondentes estimulando o fluxo de energia através do corpo, intensificando as forças vitais.

Programas de Hipertensão Arterial e de Diabetes Mellitus: 
Práticas Integrativas e Complementares

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Exame colpocitológico, conhecido também como papanicolau!

Mulheres! procurem a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua casa para realização do exame colpocitológico, conhecido também como papanicolau! Vamos prevenir o câncer de colo de utero!

O câncer do colo do útero, também chamado de cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano - HPV. A infecção genital por este vírus é muito freqüente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que poderão evoluir para o câncer, Estas alterações das células são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso é importante a realização periódica deste exame.

É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Prova de que o país avançou na sua capacidade de realizar diagnóstico precoce é que na década de 1990, 70% dos casos diagnosticados eram da doença invasiva. Ou seja: o estágio mais agressivo da doença. Atualmente 44% dos casos são de lesão precursora do câncer, chamada in situ. Esse tipo de lesão é localizada. 

Ações para o dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais

O Dia Mundial de Luta contra Hepatites Virais, 28 de julho, será comemorado pela Secretaria Municipal de Saúde com a realização de diversas ações.

Na parada Gay de Madureira, que acontecerá no dia 20 de julho, haverá vacinação contra Hepatite B em pessoas maiores de 29 anos. Além disso, será disponibilizada testagem rápida para Hepatites B e C, Sífilis e HIV e também estarão disponíveis 100 mil preservativos masculinos, dois mil femininos e 20 mil sachês de gel lubrificante.

O ambulatório de Hepatites Virais da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e a Defesa Civil, realizará atividades educativas, testes rápidos para Hepatites B e C e imunização contra Hepatite B no período de 21 de julho a 1º de agosto. 

E a Gerência de Hepatites Virais da SMS realizará, de 28 de julho até 3 de agosto, uma campanha de vacinação contra Hepatite B para todos os servidores que trabalham no Centro Administrativo
São Sebastião (CASS).

Fonte: SMS na Mídia

Abertas as inscrições para processo seletivo de farmacêutico

Estão abertas as inscrições, de 14 e 27 de julho, para os servidores do cargo de farmacêutico interessados em fazer parte da equipe técnica da Coordenadoria de Infraestrutura e Logística.

Os interessados devem enviar um e-mail para cprs@smsdc.rio.rj.gov.br, com o assunto Processo Seletivo para Farmacêutico – Gerência de Logística, informando nome completo, matrícula, lotação, telefones para contato e e-mail (caso não
seja o mesmo da inscrição) e currículo anexado.

Esclarecimentos sobre a inscrição, podem ser obtidos pelo telefone 2504-2891. Para informações técnicas, entrar em contato pelo telefone 3342-9414.

Fonte: SMS na Mídia

Rio distribui cartilha sobre comida industrializada

O biscoito tem a crocância e o sabor que a garotada gosta. E ainda vem com figurinha para colecionar.

Logo após a propaganda, vem a frase: ‘Mãe, compra?’. Para alertar os responsáveis sobre os riscos de ceder a esse pedido e de comprar produtos industrializados
para os pequenos, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro lançou um guia completo.

O material será distribuído em escolas e unidades de saúde da rede
municipal. O principal objetivo é mostrar aos pais que os produtos infantis industrializados que aparecem nos comerciais são ricos em sal, açúcar e gordura e, por isso, prejudicam a saúde dos pequenos.

Luciana Azevedo Maldonado, coordenadora de Projetos Educativos do Instituto de Nutrição Annes Dias (Inad), da SMS, aponta que as crianças são o foco das propagandas devido ao poder de persuasão que exercem com os responsáveis, definido o que eles vão comprar. “No mercado, os produtos infantis ficam em local acessível aos pequenos. Aí começa a negociação com os pais”.

Os ingredientes artificiais tornam os produtos ‘ultraprocessados’ muito saborosos — mais do que os vegetais, por exemplo. Segundo a nutricionista, o excesso no consumo pode alterar o paladar da criança e fazer com que ela passe a rejeitar alimentos naturais por considerá-los ‘sem gosto’.

Luciana alerta ainda que, muitas vezes, os pais acreditam que tais alimentos são fonte de vitaminais e minerais — estratégia publicitária conhecida como ‘Banho de Saúde’. Ela lembra que existe acréscimo de nutrientes nos produtos industrializados, mas que consumi-los não compensa o mal à saúde que eles causam. “Mesmo com as vitaminas, continuam sendo prejudiciais. Além
disso, a absorção de vitaminas artificiais não é tão boa como comer o alimento natural”, explica.

Já que é difcíl manter seu filho longe dos comerciais que passam no intervalo do desenho animado, a dica é: resista aos pedidos e ofereça opções saudáveis, como a comida caseira. Ler a lista de ingredientes também é fundamental para saber a quantidade de substâncias nocivas (gordura, açúcar, sódio e conservantes). Elas vêm listadas em ordem decrescente em relação à quantidade.

Fonte: SMS na Mídia

Lei garante R$ 130 milhões para Clínicas da Família

O prefeito Eduardo Paes sancionou a lei que autoriza a Câmara dos Vereadores a destinar R$ 130 milhões decorrentes de sua economia orçamentária ao Poder Executivo Municipal para serem utilizados na construção e implantação de Clínicas da Família.

O Projeto de Lei nº 734-A/2014, de autoria dos vereadores Jorge Felippe, Luiz Carlos Ramos, Leonel Brizola Neto, Dr. Jairinho e Carlo Caiado, determina que a prefeitura encaminhe à Casa, a cada três meses, o cronograma de aplicação dos recursos.

A meta da prefeitura é alcançar 70% de cobertura do Programa Saúde da Família até 2016, com a construção de 68 novas Clínicas da Família. Ao final de 2016, mais de quatro milhões de cariocas terão sido beneficiados pela estratégia em todo o município.

“O objetivo é aumentar a cobertura da Saúde da Família. Serão priorizadas as áreas com maior necessidade de unidades de saúde. Poderemos oferecer muito mais serviços para a população a partir de agora”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

As novas unidades serão construídas em todo o município. Vidigal, Maré, Complexo do Alemão, Andaraí, Santa Teresa (Morro dos Prazeres e Escondidinho), Cordovil, Rio das Pedras, Praça Seca, Acari, Irajá, Cidade de Deus, Barros Filho, Bangu, Vila Kennedy, Realengo, Campo Grande e Santíssimo são alguns dos bairros que ganharão clínicas.

Desde 2009, a Prefeitura do Rio entregou 72 Clínicas da Família à população. O município do Rio, que era a pior capital em cobertura da estratégia de Saúde da Família, teve um avanço recorde e passou de 3,5% de cobertura para 44% - eram 63 equipes de Saúde da Família e, hoje, são mais de 800. Isso equivale a mais de 2,8 milhões de cariocas que, agora, podem contar com uma unidade de saúde a poucos metros de casa.

Para o prefeito Eduardo Paes, a implantação das CFs é um dos principais pilares da rede municipal.

“Iniciamos um programa em 2009 que, na minha opinião, é a solução para a saúde do Rio”.

As Clínicas da Família contam com equipes multidisciplinares de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, agentes comunitários e de vigilância em saúde, técnicos de saúde bucal, entre outros. Além de consultas médicas e ações de promoção da saúde, as unidades oferecem também exames laboratoriais, ultrassonografia, eletrocardiograma e raios-x.

Fonte: SMS na Mídia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...